Resenha: Fênix: A Ilha — John Dixon

Título: Fênix: A Ilha (Fênix #1)
Título Original: Phoenix Island
Autor: John Dixon
Editora: Novo Conceito
Páginas: 336
Lançamento: 2014
Onde comprar: Buscapé

Sinopse:

Sem telefone. Sem SMS. Sem e-mail. Sem TV. Sem internet. Sem saída. Bem-vindo a Fênix: A Ilha.

Na teoria, ela é um campo de treinamento para adolescentes problemáticos. Porém, os segredos da ilha e sua floresta são tão vastos quanto mortais. Carl Freeman sempre defendeu os excluídos e sempre enfrentou, com boa vontade, os valentões. Mas o que acontece quando você é o excluído e o poder está com aqueles que são perversos?
Opinião:



Desde o seu lançamento, esse livro me chamou atenção, tanto pela sinopse quanto pela capa. Então, na última Black Friday eu comprei, e comecei a ler na última semana da Maratona de Inverno, foi o único que eu não consegui terminar pois comecei a ler ele na véspera do final da maratona. Mas na semana pós-maratona eu terminei. Ele flui muito bem, e foram precisas poucas horas para terminar.

O livro é repleto de ação, o personagem principal Carl Freeman, tem apenas 16 anos, mas é um campeão nacional de boxe, e ele nos mostra seu talento nas páginas do livro. Carl é o tipo de cara que sempre se ferra, entra em brigas sempre que vê alguma pessoa frágil sendo coagida ou apanhando de valentões. Ele para mim é um “herói” que luta por causas justas, porém seus atos as vezes passam dos limites e por isso ele cada vez mais se fode. Ele é órfão e vive sendo transferido de um reformatório para outro, até que ele passa dos limites numa briga e um de seus adversários vai parar no hospital. O Juizado de Menor então só tem uma escolha: manda-lo para a Ilha Fênix, o verdadeiro inferno na Terra.
“[...] Não se meta onde não é chamado. Essa briga não é sua. Este era o fim da linha, e sua vida estava em jogo. Não podia jogar fora o futuro para proteger alguém que insistia em se suicidar à base de piadas ruins”. — Pág. 18
Na ilha, o que seria um lugar para redenção e aprendizado, um lugar para reintroduzir os infratores no mundo, acaba sendo um local de horror. Ele obrigatoriamente precisará ficar lá até os 18 anos, ou seja, ele irá sofrer na mão de sargentos um tanto sádicos e de delinquentes da pesada. Vai conhecer algumas pessoas boas também, como Ross, que se torna seu melhor amigo, e Octavia, por quem ele se apaixona. Ah! Esqueci de dizer, a ilha recebe tanto homens quanto mulheres, e todos têm que passar por tudo, até mesma raspar os cabelos. Vou parar de falar da história para não liberar muito do que acontece, pois, o legal é descobrir tudo a cada página.
“[...] Mas não havia nada a fazer ou dizer. A localização pouco significava. A ilha inteira estava suja de sangue e assombrada pelos mortos. Histórias de terror jaziam abaixo de cada metro quadrado daquele lugar terrível, e, a qualquer momento, as atrocidades escondidas poderiam emergir como tubarões que sobem da espuma para morder e matar qualquer fé que ele tentasse manter”. — Pág. 247
O segundo livro que tem o nome de Devil's Pocket nos EUA, foi lançado em 2014, e por enquanto a Novo Conceito não se pronunciou sobre lançar aqui. A única coisa que eu sei é que eu estou doido para ler a continuação, pois quero muito saber o desfecho de tudo. O livro é bastante imprevisível, e tem um final... \o/ (Queria falar palavrões aqui. Haha) e não sabemos o que irá acontecer com ninguém, as únicas coisas que tiveram um fim, foram os mortos.
“[...] Matar terroristas não é diferente de espancar valentões. Ambas as ações tratam sintomas, não a doença essencial. Os valentões são o sintoma de um sistema de ensino doente, assim como os terroristas são o sintoma de um mundo doente. Você pode passar a vida toda tratando sintomas, mas, até que tenha curado a doença que os causa, sempre haverá mais sintomas, mais valentões e terroristas, mais pessoas usando o fogo de Prometeu para punir a todos nós”. — Pág. 259
Quando você pensa que está tudo indo bem ou indo muito mal, algo acontece e muda tudo, tanto para melhor quanto para pior.

É um livro excelente, uma das melhores leituras até agora, só não irei favoritar pois houve um momento na narrativa que me cansou um pouco. Estava tipo muito interessante e rápido, aí fica um pouco menos interessante e diminui o ritmo por umas páginas, e volta a ser muito foda e super intenso.

Os capítulos narram principalmente os feitos de Carl, mas há alguns do ponto de vista de Octavia, principalmente quando Carl está ausente. A edição é muito bem-feita e a diagramação ficou linda. Todos os capítulos têm umas silhuetas de árvores no início, e em todas as páginas tem a sombra de uns galhos perto do número das páginas. Isso deu um toque a mais no livro, a capa também, na minha opinião é bem significativa. É muito difícil classificar esse livro em um gênero específico, ele tem um pouco de ficção científica, distopia, suspense, aventura, etc.
“Pois o mundo nos exige certas coisas, quer tenhamos decidido destruir o que odiamos, quer tenhamos decidido preservar aquilo que amamos. A vida é uma luta constante, uma luta infinita, e todo o resto é meramente uma pausa para respirar entre os rounds. A qualquer momento, um sino poderia tocar, e Carl seria mais uma vez levado a combate”. — Pág. 332
O livro leva
Indico para todo mundo que quer ter uma aventura muito louca nas mãos. Comente aqui você que já leu ou se interessou por esse livro, façam perguntas, estou a disposição de todos.

BookTrailer:

12 comentários

  1. Fala, Matheus! Firmeza?

    Cara, que livro dahora!
    Não conhecia, mas pela sua resenha, deve ser irado! Curti demais!

    Abração!
    Irmãos Livreiros

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Blz Daniel?

      É bem legal sim, quando puder, adquira e leia. Não irá se arrepender.

      Abração pra ti tbm.

      Excluir
  2. Minha irmã leu esse livro e curtiu, também. Tenho ele aqui em casa, mas não sei porque ainda não li.

    http://somaisumapaginamae.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi,
      Não perca tempo Maria Luiza, você vai gostar!
      Abraços

      Excluir
  3. Olá!
    Fiquei super interessada no livro assim que li a sinopse, adoro livros com estilo distópico e de aventura.
    Gostei muito da sua resenha, e fiquei animada de saber que há mais um livro - adoro séries haha
    Adorei o blog!
    Beijos
    http://addictionforbooks.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Jordana,
      muito obrigado pelos elogios, espero que sempre esteja conosco aqui. haha
      Sempre é bom conhecer uma nova série né?
      Bjs

      Excluir
  4. Oiie
    Caramba! O livro parece mesmo ser muito foda! Fiquei super curiosa e espero que a editora lance a continuação o mais rápido possível rsrsrsrs
    Parabéns pela resenha!

    http://notasmentaisparaumdiaqualquer.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Tenho esse livro e o "final" me faz querer gritar,chingar e bater em tudo..Carl é um personagem apaixonante....assim como Octavia,esse final destruiu meu coração em mil e um pedaços!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E o pior de tudo é essa demora de traduzirem o segundo livro. Preciso de mais saber o andamento de tudo isso. hehe
      Abraços

      Excluir
  6. Matheus blz cara ? Livro perfeito acabei de ler , o final melhor ainda ... difícil de se imaginar oque irá acontecer do começo ao fim , muito top , gostaria de saber se tem notícias sobre o livro 2 .. agradeço desde já

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, desculpe pela demora, o blog está inativo e só as vezes volto aqui, estamos no Leitor Noturno (http://leitornoturno.blogspot.com.br/) e não tenho nenhuma informação oficial sobre o lançamento do segundo, algumas pessoas dizem que deve sair ainda em 2017, então o jeito é torcer. Abraços

      Excluir

Topo